Arquivos de Mulheres


IMG_1529 2 2

Ainda não é possível…

Ainda não é possível a gargalhada alta que mostra todos os dentes.
Ainda não é possível relaxar nem esquecer.
Ainda não é possível abrir as asas e alçar o voo da plenitude, nem da dignidade.
Enquanto houver uma mulher nesse mundo
apedrejada,
Pedras grandes, pequenas, invisíveis…
Enquanto tantas ainda forem tratadas desumanamente, de maneira ignorante, indignamente ou brutalmente,
Não será possível a plenitude nem o descanso.
A cada pedra que voa no ar em sua direção,
Todos os outros olhares femininos deixam de brilhar um pouquinho.
Todas as outras perdem um pouquinho de sua paz.
Retraem-se…
Choram…
Muitas vezes sem nem saber o porquê.
Ainda não é possível relaxar.
Nem deixar os cabelos balançar ao vento.
Anda não é possível ser totalmente mulher.
Quando o fazemos, até parece que estamos cometendo um erro.
O que me afaga o coração é que sei que a cada passo que dou contra a “maré” aqui, nem sei se posso nomear tal fato antinatural com o nome de um dos milagres da natureza…, sei que faz acender um pontinho de luz por lá.
Lá ou cá.
Contra a crueldade e ignorância, a grande mágica da vida.
A ligação.
Poucas mágicas são tão verdadeiras.
Mas o sofrimentos acontecido não some.
E todas nós compartilhamos as cicatrizes.
Ser o feminino é também carregar cicatrizes.

Nesrine B.


Texto a melhor parte de ser mulherA melhor parte de ser mulher…

A melhor parte de ser mulher é poder ganhar flores,
poder expor as fragilidades e poder chorar.
É poder usar maquiagem, comprar sapatos e bolsas tanto quanto o cartão conseguir pagar.
É acolher os amados, cozinhar para os queridos e ouvir quando precisarem falar.
A melhor parte de ser mulher é poder gostar de si mesma, 
É ter muitas opções de roupas: calças, saias,saias longas, saiotes, blusas de alcinhas..
É poder conhecer todas as matizes da sua cor favorita,
É pedir ajuda quando precisar, principalmente quando não se conhece o caminho…
A melhor parte de ser mulher é a de ser atraente, compreensiva, suave, pacífica e sonhadora ao mesmo tempo que se é guerreira, trabalhadora, reta e objetiva.
A melhor parte de ser mulher é poder mudar de acordo com as fases da lua, ou as fases dos nossos ciclos.
Ser mulher é cumprir ciclos.
A melhor parte de se passar por ciclos é a de poder ter uma nova chance a cada recomeço,
É a de poder fazer melhor do que da última vez e ser melhor também.
É poder não ser previsível ou já saber o fim da história logo no começo.
A melhor parte de ser mulher é poder se encher do feminino que embeleza, acalma, que da a vida, que excita e que compreende.
É poder dar a vida e se dedicar a ela para sempre.
É poder calar quando todos estão gritando.
É poder sonhar mesmo se todos estão agredindo.
A melhor parte de ser mulher é poder expressar todas as suas contradições e ser única.

Nesrine Bellydance

“Qual a melhor parte se ser mulher?”, a pedido da Central Dança Do Ventre. Uma homenagem do site ao dia internacional das mulheres 2014.

Calcinhas e calcinhas

Postado em 08/06/2014
4 comentários


texto calcinhas e calcinhas

Calcinhas e calcinhas

A calcinha, sem dúvidas, é uma das peças do vestuário que quando é vista fora do contexto da intimidade dá o que falar. Poucas peças dos vestuário incomoda tanto assim quem as vê.
Então, falemos dela!
Lembra-se de alguma vez que foi a uma apresentação de dança e viu a calcinha da bailarina? Já passou por isso?
Vou te falar que já vi várias!!
Você se incomodou? Soube de alguém que se incomodou?
É sabido que, desde o início de nosso aprendizado, para nos protegermos de situações constrangedoras, é bom seguirmos algumas regrinhas de etiqueta como: alfinetar todo o figurino antes de uma apresentação, cuidar da nossa toalete, tomar o cuidado de prestar atenção no modelo do figurino que está usando para adaptar sua dança para que não fique descomposta, cobrir-se com uma abay/véu/capa quando estiver fora de cena e assim por diante.
Mas e quando algum pequeno descuido acontece e escapa uma calcinha?
Pode ser sobre o cinturão, pode ser apenas a etiqueta aparecendo e também a grande vilã: a calcinha que aparece por entre as fendas da saia!
Ah não!! rsrsrs…
Brincadeira a parte, eu gostaria de sugerir que pensássemos um pouquinho sobre a real importância de termos visto uma calcinha repentina durante uma apresentação de dança: será que vale a pena não apreciar mais a apresentação por causa disso? Será que foi tanto descuido assim que posso chegar ao ponto de julgar a bailarina descuidada ou desmazelada? Será que é um descuido que posso relevar? Será que foi tão horrível assim? Merece perder ponto no concurso?
Cada um tem sua opinião e seus limites e não devemos discutir isso.
O importante é você conhecê-los.
Se realmente te incomoda, ok, e se nem dá bola, ok também.
O fato é que esse tipo de acontecimento não pode ser o suficiente para desmoralizar ou acabar com a apresentação de uma boa bailarina.
Na minha opinião, existem calcinhas e calcinhas…
Existe uma certa facilidade de aparecer descuidadamente um calcinha de repente, mas para mim isso não é um problema. Acho bem comum até.
Fendas profundas, bojos bem pequenos, corpos bem à mostra e saias que são vulneráveis a esse risco não me constrangem.
A intenção da bailarina de mostrar seu corpo não me constrange. O acaso mostrando uma coisa que era para estar escondida também não.
Me incomoda muito mais quando a roupa de baixo é muito colorida e fica o tempo todo aparecendo sob a saia por causa da cor. Mas encaro como um problema no figurino. Nada mais.
Para mim, constrangedor é quando a dança ainda não está tão madura para sustentar adversidades.
É quando a calcinha vem acompanhada de mais um série de descasos e descuidos: figurino caindo pedras, maquiagem borrada, cabelo bagunçado, dançando fora da música e calcinha que apareceu. Aí não dá…
Mas um de cada vez, sustentados por uma dança digna, por uma boa conduta da bailarina ou por uma personalidade forte, por mim está tudo bem!
Se é a calcinha, cabelo ou as miçangas do figurino, não importa… todos têm o mesmo peso.
Até porque não vejo diferença entre calcinha e biquíni.
Não é adequado usar biquíni na cidade nem ficar mostrando numa apresentação de dança, mas se acontece por um acaso, não serei eu quem vai questionar a pessoa a respeito de sua moral.
Muitas vezes vejo a calcinha ganhando um peso diferente dos outros problemas: moral e sexual.
A bailarina pode ser é julgada desmazelada, provocadora, sem elegância e até acusada e denegrir a imagem da dança!!
Tudo isso pode até ser verdade… mas pode não ser também. Pode ser uma exagero e uma grande bobagem.
Uma calcinha sozinha não tem todo esse poder. Disso eu tenho certeza.
Moral, está aí um bom assunto!
Na sua opinião, o que agride ou afeta a moral?
Mostrar uma peça de roupa íntima? ter um bojo pequeno no topo e fendas profundas? ou outras coisas?
E as bailarinas que usam shorts debaixo do figurino?
Com certeza estas estarão protegidas de mostrar a calcinha, mas isso significa que ela é mais digna do que a que não usa? Só o shorts a protege de não denegrir a imagem da nossa dança?
(Será mesmo que existem pessoas que acreditam nisso???)
O problema é realmente a calcinha?
Bom, existem calcinhas e calcinhas…
Mas o que realmente importa? já parou para pensar?

Nesrine Bellydance

 

Copyright © 2017 Dance! Porque é bom.
NeighborlyTema WordPress licenciado sob GNU GPL